Páginas

terça-feira, 31 de maio de 2016

Vãs repetições

Existe um preconceito do cristão para com a reza, usando da máxima que Deus fala em sua Palavra que não devemos usar de vãs repetições para falar com Deus. Isso está em Mateus no capítulo 6:7.
Mas será que o cristão lê também os versos anteriores?
No verso 5 e 6 é ensinada a maneira mais feliz de falar com Deus, usando das palavras que estão acomodadas em seu coração.
A referência do verso é a um momento único e totalmente íntimo com Deus. Lá dentro do seu quarto ou em algum lugar em que você fique sozinho com Deus, que nesse verso é denominado Pai pelo seu grande atributo paterno. Um Pai próximo, que cria seus filhos sozinho. Conhece seus gostos, necessidades, prazeres, traumas, machucados, e tudo o que um pai atencioso sabe sobre seus filhos.
O engraçado da oração é o que Deus quer que aprendamos quando estamos orando. A oração transforma o orador quando ele expõe suas mazelas, pensamentos e desejos. A oração verbaliza seus pensamentos mais profundos. Quando você ora, você descobre qual é sua real petição, como quando você pede um relacionamento pra Deus e descobre que não é bem isso que você precisa naquele momento, mas sua necessidade é na verdade ser melhorado para receber alguém novo em sua vida. Ou quando você descobre que que sua aptidão não é a advocacia e que na verdade você daria na verdade um ótimo assistente social. É nesses momentos de oração que você descobre coisas que estavam entulhadas na sua mente e o Espírito Santo te conscientiza das suas verdadeiras vontades e necessidades.
A reza é a repetição daquilo que queremos (ou não) dizer e fazemos isso várias vezes para que fique bem claro, ou convincente o suficiente para sermos atendidos. Os elogios rebuscados, as palavras persuasivas, essas coisas fazem parte de uma reza. A reza é algo muito impessoal, mas isso não é uma exclusividade das outras religiões, a reza é praticada por você e por mim quando falamos qualquer coisa sem a menor concentração para Deus. Quando em meio a uma oração em grupo, você fica alheio ao que está sendo dito em oração por um outro orador. A reza acontece quando você não aplica o coração no que diz ao Senhor ou simplesmente não diz nada a Ele.
O conselho tão precioso que a Bíblia traz a pessoa é que ela saiba ser transparente, sincera, e totalmente aberta ao falar com Deus mesmo sabendo que Ele conhece todos os pensamentos e todas as palavras que saem da boca do ser humano. Orações repetitivas e impessoais são feitas por nós todos os dias ou em todas as oportunidades de oração, porque ainda sim, não são todas as pessoas que oram todos os dias, deixando Jesus alheio às suas emoções. Orar nos dias de hoje é um desafio com todas as coisas que ocupam nossa mente: trabalho, estudo, família, entretenimentos, PREGUIÇA. É ou não é?!
Conhecer a Palavra de Deus, cultuar e exercer o evangelho se trata de razão e conhecimento, mas a oração é a parte emotiva e acolhedora da vida com Cristo. Faça da oração mais que um habito, faça da oração uma necessidade de conversar, seu meio de comunicação mais interessante.
Uns preferem se sentar num divã com Cristo, outros simplesmente bater um papo na rede. Alguns fazem audiência extraordinária, outros se sentam pra jantar com Ele. Alguns vão às montanhas ficar isolados com o Mestre, outros levam Jesus para o meio da sua família... É legal. Imagina poder usar de todos esses recursos só em fechar os olhos e abrir a boca pra falar? Quando descobrimos o poder que há na oração, uma nova janela de habilidades de fé se abre em nosso coração e passamos a entrar numa região tão profunda de vida com Cristo que fica impossível deixar de falar com o Pai. Aí então, nem que seja por apenar 2 minutinhos tiramos um tempo pra Ele, nem que seja só pra dizer "oi, senti falta de falar com o Senhor".

"Tu, porém, quando orares, vai para teu quarto e, após ter fechado a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará plenamente." Mt. 6:6

Nenhum comentário: